segunda-feira, 25 de julho de 2011

PRIMO CORTE – FORNO E FOGÃO

19.07.2011
por Cristiane Sandim
O Livro de Receitas Primo Corte é um material institucional de apresentação da Novilho Precoce MS que, através da grife própria, apresenta uma série de receitas com os cortes Primo Corte na versão Gourmet (Coxão-Duro, Coxão-Mole, Capa de Filé, Patinho, Lagarto, Picanha, Contra Filé, Filé Mignon, Fraldinha, Maminha, Alcatra e Entrecote).

A preocupação com os aspectos relacionados à saúde e ao bem-estar das pessoas tem aumentado de forma considerável. Essa demanda acontece tanto pelos atributos intrínsecos de qualidade como maciez, sabor, quantidade de gordura, como também pelas características de ordem ou natureza voltadas para as formas de produção, utilização do meio ambiente, processamento, comercialização, etc. A iniciativa sugere uma gastronomia regional amparada por uma viagem cultural ao longo de toda cadeia de produção da grife Primo Corte e sua história. Os Chefs de Cozinha Rosa Maria Justi e Marcílio de Souza, responsáveis pela elaboração das receitas, resumem: "Foi uma experiência única, desde a criação das receitas à execução dos pratos... Brincar na cozinha não tem preço! Sem pressão, sem tempo, com muito suor e acima de tudo prazer". Foi assim que eles utilizaram técnicas tradicionais da gastronomia, agregando valor dos ingredientes regionais como o pequi, o cumbarú, a mandioca amarela, etc.

“A diversidade de produtos da terra, suas características e valor nutricional, enriquecem e colaboram com a saúde dos consumidores”, complementa a Chef Rosa Maria. Ingredientes regionais e técnicas culinárias aliados à qualidade da carne de Novilho Precoce Primo Corte proporcionaram a produção de receitas fáceis e práticas de serem feitas pelos restaurantes, donas de casa ou por aqueles que apreciam a boa comida e gostam de praticar novas receitas. Os interessados poderão adquirir gratuitamente exemplares do livro, basta entrar em contato com a Novilho Precoce MS pelo telefone 67 3324-7082.

quinta-feira, 7 de julho de 2011

Grupo azul vence prova

Por um ponto de diferença, o grupo azul ( Thiago, Elenora, Pina e Fellipe) bate novamente a equipe vermelha (Marcílio, Shirley, Charlie, Ronaldo e Gabriele) e vence a prova de grupo da semana. E como prêmio, os participantes vencedores terão seu prato, carne suína com feijão fradinho, no cardápio de um famoso restaurante carioca por um semana. Já os concorrentes que não venceram terão a missão de indicar alguém da própria equipe para a Panela de Pressão.

Opinião da banca de jurados

Mais uma vez os aspirantes a Super Chef foram criticados pelos avaliadores da prova. A chef Ludmilla Soeiro, já bem conhecida dos participantes, deu nota baixa para as duas equipes: seis para a azul e cinco para a vermelha (a notas variam de 5 a 10). Para ela, os pratos estavam crus e cozinheiros não pensaram no custo na hora de fazer as compras para a prova. Sobre o prato dos vitoriosos Ludmilla comenta: “Super perfumado, muito sal e o porco estava cru”.

Manuelzinho, sócio do Antiquarius, fala que os participantes ainda tem que evoluir na carreira. “Nenhum deles está pronto para assumir um restaurante”, adverte. As notas dadas por Manuelzinho foram um pouco melhores que as de Ludmilla. O grupo azul recebeu sete, que segundo ele, estava muito salgado; e para o vermelho a nota foi oito. “Estava mais saboroso”, explica.

Já o ator Antonio Calloni avalia o prato do grupo azul com a nota sete e do vermelho com seis. Sobre os vencedores disse que sentiu que o prato tinha personalidade, ao contrário da comida preparada pela outra equipe.

Prova: participantes elaboram prato que pode parar em cardápio de restaurante famoso

Foi lançando um novo desafio aos aspirantes a Super chef: preparar em 50 minutos um prato executivo com uma proteína e um acompanhamento. Porém a prova tem um prêmio com gostinho especial: a criação do grupo vencedor será incluída no cardápio do famoso restaurante carioca Antiquarius por uma semana.

Para elaborar os pratos, as equipes foram às compras com R$ 200. Entre os produtos comprados, tinha pão italiano, vinho branco, bisteca de porco, castanha, lingüiça, queijos e cogumelo ( veja abaixo a lista completa dos produtos comprados).

No cardápio

Com todos os ingredientes à mão, os participantes iniciam a corrida contra o relógio. O grupo vermelho, com Charlie, Shirley, Gabriele, Marcílio e Ronaldo, elabora um prato de lombo suíno com crosta de xerém e para acompanhar, purê de mandioquinha. O quinteto nomeia o quitute de “Essência Brasileira”. É Marcílio quem defende a criação da equipe: “Juntamos todo conhecimento num prato só”.

Já o grupo azul opta por buscar referências no norte do país e cria o prato “Memória Nordestina”. A iguaria consiste em carne de porco feito na manteiga de garrafa e para acompanhar feijão fradinho. A defesa do grupo fica por conta de Thiago: “Imprimimos sabores com características marcantes do nordeste. Tudo elaborado em cima da manteiga de garrafa.

Julgamento

Para avaliar os concorrentes foram convocados a chef Ludmilla Soiero, já conhecida dos participantes, o ator Antonio Calloni e o sócio do Antiquarius Manuelzinho. Eles devem provar os pratos e dá uma nota de cinco a dez.

Ingredientes

Confira os produtos que as equipes azul e vermelha compraram para mandar bem na prova.

Grupo vermelho: pão italiano, batata baroa, torrada, vinho branco, limão siciliano, bisteca de porco, cebolinha e hortelã e xerém.

Grupo azul: couve, pimenta, queijo coalho, feijão fradinho, batata doce, carne suína, arroz, lingüiça, pimenta e banana.

Diário: nova liderança e performance em prova dão o que falar

Ronaldo ganhou a prova de imunidade dessa semana, tornando-se assim o novo líder do Super Chef. Com a liderança, ganhou o direito de reorganizar os dois grupos – azul (Pina, Eleonora, Fellipe, Thiago e Charlie) e vermelho (Ronaldo, Shirley, Gabriele e Marcílio). No entanto, o líder resolveu manter a formação das equipes, com apenas uma diferença: trouxe Charlie para seu lado.

Como era de se esperar, a nova liderança e a manutenção dos grupos deram o que falar nos diários virtuais dos participantes. Charlie, o único a ser deslocado de uma equipe para outra aprovou a mudança. “Tô muito feliz em poder fazer parte do grupo vermelho agora… Me senti acarinhado por todos do grupo, e essa sensação é muito boa”, escreveu. Thiago também comentou sobre o assunto: “ To muito feliz em permanecer na equipe azul. A equipe está menor mas não menos competente”.

Quem parece que não gostou nada de ter perdido a prova, foi Marcílio. Ele postou em seu diário: “Hoje está sendo um dia de reflexão, pois arrisquei, como sempre faço, e paguei o preço”. Fellipe também comentou sobre sua performance: “Acho que mandei bem no meu prato, usei uma técnica um pouco complicada de se fazer sob pressão e consegui fazer dar certo!”. Já Pina culpou os alimentos pelo seu desempenho: “Ainda não peguei um ingrediente que tenha estimulado a ser ousada”.

O líder Ronaldo, que ontem havia falado de guerra em seu diário, hoje escreveu uma enigmática mensagem, sem citar nomes: “Se um amigo é incapaz de fazer uma crítica, procurei um desconhecido” .

‘Acha que não tenho capacidade de estar aqui?’, revolta-se Shirley

Antes da prova, Ronaldo dita as regras e cria desconforto no grupo vermelho. “Hoje eu sou o chef da cozinha e sub-chefe é o Marcilio. Vou apostar tudo nele. Qualquer dúvida, recorram a ele. Hoje me vejo com uma reponsabilidade um pouco maior. Aqui eu sou profissional”, determina. Shirley tenta dar sua opinião, mas Ronaldo não a escuta. “Você se colocou como chef do grupo, respeitei a sua posição, a minha não foi respeitada. Estou como alegoria aqui? Você acha que não tenho capacidade de estar aqui? Não me subestime!”, revolta-se Shirley.

Diário: Inspirados pelo workshop, chefs estão ansiosos para a prova

O workshop da chef Roberta Sudbrack foi um sucesso e inspirou os participantes para a prova em grupo que vão enfrentar ainda essa semana. Eles aprenderam os segredos da boa gastronomia e fizeram três deliciosas receitas com a chef.

A empolgação com a experiência foi tanta, que o tema workshop está na maioria dos diários dos participantes. “Virei super fã da Chef Roberta”, comenta a jovem Gabriele. Charlie diz estar muito feliz com o workshop e pretende seguir as orientações que aprendeu: “Respeitar todos os ingredientes que a natureza nos deu”. Eleonora, além da felicidade de participar do programa, está ansiosa com a prova que os aguarda. “Vale um passeio no sábado! Mais uma vez eu repito: isto aqui é maravilhoso!”, comemora ela.

Ronaldo, que está tranquilo pois ganhou a última prova e a imunidade, sente o peso do confinamento. “Estou com muitas saudades”, desabafa o líder. Ele também lembra de Paula, primeira eliminada do Super Chef. Marcílio acha que a saudade de casa e da família atrapalha o jogo, mas destaca o ótimo clima no grupo vermelho. Pina e Fellipe concordam: animação e otimismo para o desafio que vem por aí. “Quero muito um prato meu no cardápio do Antiquarius”, escreve o paulista. A candidata Shirley se envolve cada vez mais com o jogo: “Como eu quero que cada um de vocês consiga sentir e vivenciar de alguma forma toda esta emoção”. E Thiago lembra de suas raízes, minutos antes da prova.

quarta-feira, 6 de julho de 2011

Paixão na Cozinha: Chef Roberta Sudbrack revela segredos para servir bem

O terceiro Workshop do Super Chef traz uma agradável surpresa para os participantes: a Chef Roberta Sudbrack. Com um currículo invejável, Roberta é reconhecidamente uma das melhores chefs do Brasil. Ela foi a primeira a comandar a cozinha do Palácio da Alvorada em meados de 1996 e ficou lá por sete anos. Além de colecionar importantes prêmios de gastronomia, seu restaurante já foi escolhido, pela revista Food & Wine, como um dos Melhores do Mundo.

Na primeira conversa com os participantes, Roberta fala que vida de chef não é feita só de glamour. Muitas vezes o chef tem que ganhar menos para abastecer o restaurante com os melhores ingredientes do melhor fornecedor, além de ser o primeiro a chegar e o último a sair. “Para ser um bom chef tem que entrar pela porta dos fundos e usar o banheiro dos empregados”, complementa ela.

Hoje, Roberta ensina que para servir bem um chef precisa dialogar com os ingredientes e nunca se impor sobre eles. “O grande erro na cozinha é o cozinheiro querer aparecer mais que o ingrediente. Se eu não tiver todo dia na minha cozinha um bom tomate, um bom peixe, não adianta”, aconselha. É preciso entender que cada alimento tem sua característica e formas diferentes de reagir quando manipulado com técnicas específicas.

O cardápio do workshop é bem completo: massa fresca de espaguete ao sugo, gratinada em papel alumínio; carré de cordeiro com ervas aromáticas e cogumelos frescos, servido com batatas gratinadas; para finalizar, uma sobremesa interativa de morangos e fruta do conde – chamada “Mergulho”. “A gente acha que o simples tem tudo para dar certo, muito pelo contrário… Tem tudo para dar errado! O simples pode ser muito moderno, muito gostoso”, diz a chef.

Marcílio solta farpas: ‘Pina vive criticando todo mundo’

O programa entra na segunda semana e a disputa está cada vez mais quente. Alianças já começam a ser formar, e o que não falta são análises e críticas aos concorrentes.

Pina levanta a bandeira do grupo feminino. A aspirante a Super Chef declara que não gostaria que mais uma mulher fosse eliminada do programa, depois de Paula. “Como saiu uma mulher, eu queria que uma outra fosse a nova líder”, comenta com Eleonora. “Não queria que as mulheres saíssem todas logo de cara”, conclui.

Mesmo sem saber que Pina está pensando proteger as meninas do programa, Marcílio descreve a carioca como “jogadora”.“Você viu a Pina, como ela fica? Ela fica cutucando todo mundo, falando que o dela é melhor”, acusa Maricílio para Ronaldo. O carioca defende a moça: “Mas essa é ajogada , cada um tem um artifício de jogo”. Mas Marcílio não se dá por satisfeito e rebate: “Ela está jogando de um jeito que eu não gosto”.


Alianças começam a se formar

Depois de Marcílio e Ronaldo avaliarem o comportamento de Pina da disputa, os aspirantes a Super Chef declaração amizade. “Aqui dentro eu sou seu brother mesmo, independente de quem você irá votar”, fala Ronaldo.

A divisão em dois grupos na primeira semana do programa aproximou os integrantes do mesmo grupo. Eleonora afirma que a equipe azul ( Thiago, Charlie, Pina, Eleonora e Fellipe) tem a intenção de ser manter unida. Já Marcílio diz que objetivo do grupo vermelho, se ganhar a prova, é trazer um componente forte do outro lado. ” A estratégia é puxar alguém forte deles, que é o Charlie”.

Fonte: http://maisvoce.globo.com/platb/super-chef-2011/2011/07/05/disputa-participantes-formam-aliancas/

terça-feira, 5 de julho de 2011

Ronaldo é o novo líder, ganha imunidade e divide grupo

André Marques e Ludmilla avaliam os concorrentes na prova de imunidade. Na opinião dos jurados, quem se saiu melhor nessa disputa foi Ronaldo. O aspirante a Super Chef preparou uma omelete de claras, ajeita um bocado em cima de fatias de pão e cobre com queijo, levando ao forno para gratinar. Ele ainda prepara um molho à base de mostarda e das gemas, que separou. Para beber, Ronaldo faz uma vitamina de morango.

Ronaldo com a liderança ganha o direito de dividir o grupo. Ele mantem a equipe vermelha com Shirley, Marcilio, Gabriele e, também, traz Charlie para seu lado.







Participantes criam receita com ovo para café da manhã

O desafio dos participantes é preparar um prato à base de ovo e um drink para acompanhar. A ordem de execução da prova foi feita através de um sorteio. A avaliação é individual e os pratos devem ser preparados num tempo máximo de 30 minutos. No júri de hoje: a chef Ludmila e o apresentador André Marques. Os drinks podem ser criados com ou sem bebida alcoólica. Para elaborar o prato, os candidatos têm à sua disposição uma bancada farta com frutas, temperos frescos, carnes, legumes, ovos de galinha, pato e codorna, além de pães, queijos, manteiga e creme de leite.

Thiago, Gabriele e Pina começam a prova

Os três primeiros a realizar a prova são Thiago, Gabriele e Pina. Inspirado na culinária oriental, o pernambucano mistura molho de soja e especiarias ao ovo, o frita em chapa bem quente, criando uma espécie de panqueca. Por último, ele prepara uma bebida carregada de frutas e pouco líquida. Gabriele cozinha um prato mais clássico: omelete servida com pão ciabatta e uma porção de ricota temperada. A paulista serve um chá de capim cidreira para misturar com leite. Pina também opta pelo óbvio e prepara uma omelete temperada, fatias de pão fritas no azeite e, para beber, espumante com água de coco.

Fellipe, Eleonora e Marcílio dão sequência à disputa

Na sequência, Fellipe, Eleonora e Marcílio realizam a prova. O primeiro faz um ovo pochê, com coalhada levemente amarga e pedacinhos de bacon frito. Ele elabora uma bebida à base de frutas vermelhas e um toque de cachaça. O sul-mato-grossense parece perdido e roda a bancada várias vezes. Até que finalmente se decide e prepara algo inusitado: uma simétrica fatia de melancia, coberta com queijo branco e ovo de codorna frito, acompanhará uma consistente bebida à base de iogurte e amoras. Insatisfeito, resolve fritar um medalhão para acompanhar. A carne é considerada um segundo prato e descartada para avaliação. Eleonora leva ao forno um ovo de codorna sobreposto à uma compota de frutas (ameixa e maçã). Para beber, ela prepara um drink de uva verde.

Ronaldo, Charlie e Shirley também elaboram prato e drink

Ronaldo, Charlie e Shirley são os últimos a executar a prova. O carioca cria uma omelete de claras, ajeita um bocado em cima de fatias de pão e cobre com queijo, levando ao forno para gratinar. Ele ainda prepara um molho à base de mostarda e das gemas, que separou. Para beber, Ronaldo faz uma vitamina de morango. O paulista Charlie elabora uma brusqueta coberta com gemada e decorada com figos, além de uma vitamina de amora. Shirley, por sua vez, se inspira na culinária norte-americana. Ela serve ovo mexido com ervas frescas, torradas e bacon frito, acompanhando café com leite e canela em pó.

Fonte: http://maisvoce.globo.com/platb/super-chef-2011/2011/07/05/participantes-tem-que-usar-criatividade-e-ovo-na-prova-de-imunidade/

Diário: Ronaldo fala de guerra, Marcílio, de convivência harmoniosa

Parece que Ronaldo e Marcílio andam discordando sobre o clima do programa. Enquanto Ronaldo postou, em seu diário virtual, assuntos relacionados à guerra, Marcílio descreveu o convívio na casa como harmoniosa. “Penso que guerras são traçadas mesmo que não haja um motivo. Gostaria de saber ser haverá um vencedor com baixas dos dois lados?”, escreveu o primeiro. “ Estamos animados, a nossa convivência esta muito harmoniosa”, relatou o segundo.

A viagem do grupo azul, vencedor da Prova Cordel, redeu elogios no Diário do Participante. “O final de semana foi maravilhoso. Adorei tudo: a viagem, o Restaurante, o Chef e sua esposa. É nessas horas que você que o amor prevalece mais que tudo dentro de uma cozinha”, escreveu Charlie. Thiago, Fellipe, Eleonora e Pina também comentaram sobre o passeio de final de semana.

Shirley , Gabriele e Marcílio não viajaram mas também aprovaram o clima do final de semana. “Curtimos muito sábado e domingo, deu para pegar uma corzinha e fazer a fotossíntese”, brincou Gabriele.

segunda-feira, 4 de julho de 2011

Matéria exibida no MSTV 1ª edição em 02/07/2011

Através do link abaixo você pode assistir a matéria feita pelo jornalismo da Tv Morena sobre a paticipação de Marcílio Galeano no Super Chef 2011:

http://video.globo.com/Videos/Player/Noticias/0,,GIM1553569-7823-CAMPOGRANDENSE+DISPUTA+QUADRO+DO+MAIS+VOCE+PARA+SE+TORNAR+SUPER+CHEF,00.html

ENTREVISTA: "Votaram em mim porque me consideraram forte", explica Paula

Com 56% dos votos, a mineira Paula deixa o programa na primeira semana de disputa. Mesmo ficando tão pouco tempo, a primeira eliminada do Super Chef 2011 considera a sua participação válida. “Acho que valeu a experiência. Você vê o programa e acha que só foi essa essa semana. Mas tem muita coisa antes que conta: preparação, expectativa, ansiedade…”, avalia.

A mineira, que foi parar na Panela de Pressão com cinco votos, conta que antes pensava sua indicação era devido a sua atuação como líder na Prova Cordel, mas acabou conhecendo o verdadeiro motivo. “Eu achava que a Prova tinha pesado, mas conversei com o outro grupo e eles disseram que votaram em mim por me considerarem forte”, explica.

A elimitada da semana sai da competição, mas revela seus favoritos ao prêmio de R$50 mil. “Estou torcendo para o Ronaldo que foi para a Panela de Pressão junto comigo”, conta. Paula também aponta Marcílio e Charlie como fortes concorrentes.

Agora, quando questionada sobre o que vai fazer depois dessa experiência, ela, que trabalhava com gastronomia para eventos, se mostra um pouco indecisa. “Sou muito intensa, por isso ainda não sei que vou fazer daqui pra frente”, diz. A mineira ainda aproveita para fazer um apelo em forma de brincadeira para seus antigos chefes: “Espero que eles me recebam de volta”, fala se referindo ao fato de ter deixado o trabalho por um tempo para participar do programa .

‘Thiago é quem mais está jogando’, analisa Marcílio

Enquanto o grupo azul se deliciava em São Paulo, o grupo vermelho traçava estratégias para a próxima prova. “Pegando a liderança a gente vai manter o grupo?”, quer saber Ronaldo. Sem pestanejar, Shirley, ainda líder, responde: “Por mim, tudo bem”.

Eles também pensam em quem trariam para o grupo, se pudessem escolher. Charlie acaba sendo unanimidade. “Ele é um dos mais concentrados”, explica Gabriele.

Marcílio aproveita o bate papo para aconselhar Ronaldo sobre o desentendimento que teve com Thiago. “Cuidado com a forma que você fala. Ele (Thiago) é quem mais está jogando”, diz Marcílio.

Grupo retorna de viagem

Agora quando o grupo vencedor volta do passeio, os integrantes percebem o clima. “Depois de tantas delícias era de se esperar que o grupo azul voltasse animadíssimo da viagem, ao chegarem à sala de convivência encontraram Ronaldo, Suely, Gabriele e Marcílio só “tricotando”, conta Ana Maria.

Fonte: http://maisvoce.globo.com/platb/super-chef-2011/2011/07/04/enquanto-grupo-azul-viaja-outra-equipe-traca-estrategias/

sexta-feira, 1 de julho de 2011

Paula é a primeira eliminada

Paula é o primeira eliminada do Super Chef 2011. Com 56% dos votos, ela deixa a disputa na primeira semana.

“Foi pouco tempo, não deu para curtir todas as possibilidades que este rico encontro proporciona. Todos entram aqui cheios de esperança. Conheço um pensamento que diz: ‘as grandes realizações não são feitas por impulso, mas por uma soma de pequenas realizações’, diz a apresentadora.

Antes de deixar o programa, Paula fala sobre a experiência que teve no Super Chef: “Daqui, vou levar só coisa boa. Aprendi bastante, mas gostaria de aprender muito mais…”. Ronaldo abraça a companheira e lhe dá um beijo na testa. Shirley, emocionada, fala: “A gente não consegue ficar nem 100% feliz, nem 100% triste”. “Ela leva um pedacinho da gente. Fizemos amizade e vai deixar saudade”, desabafa Gabriele. O grupo vermelho se abraça Ronaldo, que volta a disputar o título de super Chef.

Paula foi escolhida pela líder da semana, Shirley, para integrar o grupo vermelho. A ex-concorrente participou dos workshops do Chef Cássio e do Chef Jefferson Rueda. Na Prova Cordel, Paula foi eleita por sua equipe para coordenar a cozinha. Ela, no entando, deixou a desejar no resultado. O grupo ficou perdido e desorganizado. Os pratos foram julgados como salgados, mal cozidos e sem harmonia.

Fonte: http://maisvoce.globo.com/platb/super-chef-2011/2011/07/01/paula-e-a-primeira-eliminada/

No segundo Workshop, o Chef Jefferson Rueda ensina a fazer carne de porco

O segundo workshop do programa é ministrado pelo Chef Jefferson Rueda, que tem grande experiência e já ganhou importantes prêmios. Ele traz a influênia da cozinha italiana e ensina os participantes a preparar carne de porco com um tempero muito especial.


Jefferson é exigente na organização e limpeza do ambiente de trabalho. Ele chama a atenção dos candidatos na hora de descartar o óleo utilizado para a fritura: “Nunca jogar na pia! Separe o óleo em um recipiente, deixe-o esfriar e jogue no lixo”.


Ana Maria pergunta aos aspirantes a Super Chef o que mais gostaram do workshop. Eles são unânimes ao responder: “O codeguim! Foi muito legal fazer!”.

Fonte: http://maisvoce.globo.com/platb/super-chef-2011/2011/07/01/no-segundo-workshop-chef-jefferson-rueda-ensina-a-fazer-carne-de-porco/