sexta-feira, 4 de março de 2011

Vinho - Uva da vez: Carmenère

Boa Tarde Chefs!!

Pelo o que vocês têm percebido, tenho falado muito sobre vinho ultimamente. É que acabei descobrindo por um acaso a maravilha que é o mundo do vinho, sempre me neguei a tentar entender os vinhos, pois a minha área é cozinha, mas... Nenhuma vive sem a outra, está diretamente ligado.

O que eu tenho feio e indico, para aqueles que não têm tempo ou não estão perto de nenhuma escola de enologia, é estudar a introdução sobre o vinho (história, uvas, métodos de produção, etc.) e quando tiver uma base, começar a degustar vinho. Por exemplo: hoje estou degustando a uva "Carmenère", todo dia quando chego em casa tomo 200ml de vinho, assim vou conhecendo as notas do vinho, e depois de tudo eu estudo a uva.

E vou comentar todos os vinhos que eu tomar. Preparem-se.
OBS: se tiver algum erro de digitação a culpa não é minha rsrsr é do vinho!!!
por Marcílio de Souza

Uva Carmenère

Origem
Uva tinta de alta qualidade, variedade da uva cabernet, originária de Bordeaux (Fr.), mas hoje naturalizada chilena. Originalmente, era conhecida no séc. XVIII como "grand vidure" (e a cabernet franc como "vidure"), mas essa designação sumiu. Produz ótimos vinhos varietais, com muita estrutura e sabor marcante. Permite envelhecimento para os vinhos bem elaborados. Devido a sua potência, não deve ser utilizada em vinhos de consumo imediato, pois antes de 3-4 anos os vinhos estarão desequilibrados devido à acidez e aos taninos agressivos. Devido á sua recente redescorta (meados década de 90) no Chile, não há hoje vinhos Carmenère de mais de 8 anos, mas é uma uva com grande potencial para guarda de 10, 20 anos, ou até mais.

Regiões de Produção
Hoje pode-se dizer que a Carmenère é uma uva chilena, e lá encontra sua plena expressão, mas aparece também na California e na Argentina. Os vinhos são via-de-regra varietais, mas podem aparecer combinados com cabernet sauvignon, ou mesmo shiraz. Alguns Tops chilenos usam Carmenère em seu corte.

Características dos Vinhos
O vinho carmenère é saboroso e encorpado, um pouco mais tânico que a cabernet sauvignon, e menos ácido que a cabernet franc, com um nítido e delicado amargor secundário. Tem coloração rubi violácea acentuada. Suas boas caracteristicas só aparecem depois de alguns anos; sendo assim, vinhos carmenère de menos de 3 anos são completamente desequilibrados, com elevada acidez e taninos agressivos (adstringente).

Harmonização
Carnes vermelhas, feijoada (é isso mesmo), e assados. Não deve ser utilizada para acompanhar pratos com molho de tomate, ou pratos leves e saladas. Uma boa pedida para o "fondue" bourgignone (carne).

Postar um comentário