quarta-feira, 2 de março de 2011

VINHO - SABER PROVAR

Escrito - Português de Portugal
Quase todos podemos ser provadores de vinho, basta termos vontade, um pouco de orientação e nariz. Neste artigo procuraremos dar-lhe um pouco de orientação no que diz respeito à técnica da prova e àquilo que se deve prestar mais atenção no decurso da mesma. A prova é um meio iniciático, ou seja, será o próprio a ter de apurar os seus sentidos. O que nos propômos é guiá-lo nos primeiros passos. Preparado?

Antes de mais há que escolher um copo apropriado. Utilize os copos indicados para este fim os denominados 'copos de prova' de pé alto, transparente sem quaisquer desenhos, o mais fino possível e com forma de tulipa.

As principais etapas da prova vão-se desenrolar de acordo com a sucessão dos sentidos que iremos utilizar:

Há duas perspectivas diferentes a considerar na prova de um vinho: a do consumidor, que pretende tirar o maior prazer do vinho que está a provar naquele momento, e a do enólogo, que tenta avaliar um determinado vinho e o prazer que irá provocar a quem o consumir mais tarde. Em qualquer dos casos existem alguns conselhos simples e úteis.

1. Exame Visual
Observe o vinho, utilizando uma luz razoavelmente boa, contra uma superfície branca. Deverá observar então a cor, a limpidez e a efervescência.

2. Agitar
Agite o copo com um cuidadoso movimento circular, de modo a permitir a libertação dos aromas. Quando parar a agitação veja se existem lágrimas a escorrer pelas paredes do copo (podem dar uma indicação sobre o teor de álcool e açúcar do vinho).

3. Aroma
Agite novamente o copo, aproxime o nariz e inspire profundamente. Tente encontrar no conjunto de aromas alguns que lhe sejam familiares.

4. Provar
Coloque na boca uma quantidade razoável de vinho (sem ser demasiada). Role o vinho suavemente na boca, de forma a atingir as papilas gustativas de forma uniforme. Defina o sabor do vinho. Inspire pela boca, fazendo o ar atravessar o vinho e expire pelo nariz. Os aromas detectados desta forma constituem o aroma de boca. Ao conjunto das sensações detectadas na boca e por via retro-nasal, no nariz, chama-se paladar.

Postar um comentário