segunda-feira, 3 de janeiro de 2011

Lipídeo: vilão ou mocinho?

Segunda-feira, 2 de agosto de 2010
por Adriana Carrieri


Costumamos usar o nome "gordura" para englobar tudo aquilo que seja oleoso, mas na realidade o termo correto a ser usado nesse caso é "lipídeo".

O lipídeo é uma biomolécula praticamente insolúvel em água e é responsável por inúmeras funções do nosso organismo, inclusive desempenha papel fundamental na membrana de todas as nossas células.

Adiante veremos as características e a importância dele em nosso organismo, além de chegar à conclusão se ele age como vilão ou mocinho dentro de nós.

Por que lipídeos e água não se misturam?

A estrutura química dos lipídeos é diferente das outras biomoléculas. As proteínas são formadas por repetições de aminoácidos e o amido por repetições de glicoses, já os lipídeos são moléculas constituídas por cadeias contínuas de hidrocarbonetos, ou seja, cadeias cujos átomos que predominam são o carbono e o hidrogênio, o que confere aos lipídeos um caráter apolar, diferente do caráter polar da água. Por essa diferença de polaridade, um não dissolve o outro, um não se mistura ao outro.

Classificação dos lipídeos:

Os lipídeos podem assumir a forma líquida, como é o caso dos óleos, e a forma sólida ou pastosa, como é o caso das gorduras.

Mas, além dessa subdivisão, os lipídeos são classificados de acordo com a estrutura química em: ácidos graxos, trigliceróis, fosfolipídeos e colesterol.

- Ácidos graxos: Representam o grupo mais abundante de lipídeos nos seres vivos. Eles compõem outros tipos de lipídeos: os trigliceróis e os fosfolipídeos.

Os ácidos graxos podem ser saturados ou insaturados. Serão saturados se não apresentarem duplas ligações na molécula, o que confere uma característica mais sólida ao lipídeo e o torna mais "perigoso" à saúde. Serão insaturados quando apresentarem duplas ligações na cadeia, o que confere ao lipídeo uma textura mais líquida, fazendo com que ele não seja nocivo à saúde. Os ômegas 3, 6 e 9, tão conhecidos, são tipos de ácidos graxos essenciais ao organismo, pois agem na proteção contra doenças cardiovasculares.

- Trigliceróis: São lipídeos que atuam no organismo como reserva energética e causam a famosa "barriguinha".

- Fosfolipídeo: É o principal componente da membrana celular.

- Colesterol: Tão conhecido por todos, está presente na membrana de nossas células, é precursor da bile e de hormônios.

Digestão dos lipídeos:

O evento inicial da digestão dos lipídeos da alimentação começa na boca. Embora não ocorra digestão de triglicérides na boca, os lipídeos estimulam a secreção da enzima lipase lingual das glândulas salivares da base da língua. Posteriormente, quantidades de gorduras são digeridas no estômago pela enzima lipase gástrica, reduzindo parte dos triglicerídeos a ácidos graxos e glicerol.

Entretanto, a etapa principal da digestão de gordura ocorre no intestino delgado, como resultado da ação da enzima lipase pancreática, vinda do pâncreas, e da bile, produzida no fígado. É importante deixar claro que a bile não é uma enzima digestiva, ela é um emulsificante de gorduras, ela apenas facilita a ação das enzimas.

Após esse processo, os ácidos graxos, o glicerol e outros subprodutos da digestão lipídica são absorvidos pela corrente sanguínea. Por ela são levados até o fígado, onde serão metabolizados.

Entenda seu exame de sangue:

No exame de sangue geralmente é pedida a contagem de lipídeos: triglicerídeos e colesterol e de lipoproteínas: HDL, LDL e VLDL. Esse controle feito nos exames é de grande importância, pois o descontrole da quantidade de lipídeos no organismo estão associados à doenças cardiovasculares, obesidade, diabetes e até ao câncer. Por isso, vamos entender passo a passo o que cada um representa.

Como já dito, os triglicerídeos são gordura de reserva. Quando a quantidade de ácidos graxos no sangue está elevada, eles são transformados em triglicerídeos e armazenados no tecido adiposo, ou tecido de gordura. Por isso, se o seu triglicérides está alto, é sinal de que está com gordura excessiva, procure ajuda de um profissional e modere o consumo de gorduras e carboidratos.

O colesterol é um tipo de lipídeo encontrado no sangue e, como todo lipídeo, é insolúvel em água. Mas, o sangue é 80% água, então como o colesterol consegue ser transportado pelo sangue já que não se mistura com ele? Existem estruturas quimicas chamadas lipoproteínas (HDL, LDL, VLDL) que fazem o transporte do colesterol pelo sangue.

Então, na verdade, HDL, LDL e VLDL que aparece nos exames não é colesterol, é uma lipoproteína que transporta o colesterol. Assim, se você tiver muito colesterol no sangue, você também terá muita lipoproteína para "carregá-lo".

HDL: chamado "colesterol bom", é a lipoproteína que sequestra o colesterol em excesso nos tecidos e o leva através do sangue para ser degradado no fígado.

LDL: chamado "colesterol ruim", é a lipoproteína que transporta o colesterol através do sangue para os tecidos extra-hepáticos.

VLDL: Precursor do LDL, também leva colesterol e triglicerídeos do fígado para os tecidos extra-hepáticos através do sangue.

Lipídeos e Nutrição:

O lipideos podem ser conseguidos através da alimentação ou através da produção lipídica efetuada pelo próprio organismo. Como já foi dito, os lipídeos são fundamentais para inúmeras funções orgânicas. Além das funções já citadas acima, os lipídeos desempenham a função de solvente das vitaminas A, D, E e K. Por todas as funções que essa biomolécula desempenha é necessário incluí-la na dieta, mas é importante tomar cuidado com as gorduras saturadas e trans.

A gordura trans é um tipo especial de ácido graxo, formado durante o processo de hidrogenação feito para dar características de crocância, melhor textura e maior período de validade aos alimentos industrializados. Esse tipo de lipídeo é extremamente nocivo ao corpo humano. Uma série de processos faz com que essa gordura trans aumente gradativamente o risco da formação de ateromas e doenças cardiovasculares.

Alguns representantes dos diferentes tipos de lipídeos:

- Fontes de gordura sauradas, EVITE!!!: leite integral, manteiga, creme de leite, chantilly, queijos gordurosos (provolone, parmesão, mussarela), bacon, gordura das carnes, pele das aves e frituras em geral. O coco, apesar de ser um alimento natural, é rico em gordura saturada.

- Fontes de gordura insaturada, LIBERADO!!!: óleos vegetais de milho, girassol, canola, azeite, óleo de peixes, abacate, linhaça, sementes oleaginosas. Atenção!!! Esse tipo de gordura não é prejudicial no sentido de causar doenças cardiovasculares, mas em excesso pode fazer você engordar!

- Fontes de gorduras trans, EVITE!!!: Alimentos que contenham gordura vegetal hidrogenada, alimentos de massa folheada, biscoitos recheados, bolachas de água e sal, sorvetes, entre outros.
Vilão ou mocinho?

Afinal, os lipídeos são positivos ou negativos ao organismo? Na verdade ele pode se comportar como mocinho e como vilão, tudo vai depender de você.

A gordura é necessária ao organismo por desempenhar funções vitais, mas cabe a você saber dosar a quantidade e qualidade que dos lipídeos incluídos na sua dieta. Se preferir azeite para cozinhar, se preferir comer uma castanha por dia ao invés de comer um biscoito recheado, se preferir alimentos assados ao invés de fritos e se preferir peixes ao invés de carnes gordas, o lipídeo dentro de você com certeza atuará a seu favor. Mas muitos vão dizer: "Bolacha, batata frita e sorvete é tão gostoso! Eu nunca vou poder comer?". Claro que vai. Tudo é uma questão de moderação e bom senso.

Procure ter na maior parte dos dias uma alimentação equilibrada optando por gorduras insaturadas para poder fazer algumas extravagâncias - como tomar sorvete e comer batata frita - em festas e fins de semana sem cometer danos graves ao seu organismo. O problema está na grande maioria que SÓ come "gordura ruim" e não ingere alimentos que tenham a capacidade de reparar os danos causados por esse mau hábito. Nesse caso, o lipídeo com certeza será o grande vilão para a sua saúde!

Faça da sua alimentação a sua fonte de saúde! Isso é possível!!!

Postar um comentário