sexta-feira, 12 de novembro de 2010

Combinando Cerveja e Gastronomia

por Renato Todorov
Vivemos (ao menos no Brasil) uma cultura gastronômica na qual o vinho é a bebida oficial de um bom jantar. Tinto para massas e carnes vermelhas, branco para peixes, essa é (levianamente) a convenção. Mas quem não é apaixonado por vinhos ou quer sair dessa rotina pode encontrar na cerveja um gigantesco mundo de sabores e combinações, possibilitando a substituição do vinho com maestria em qualquer tipo de prato.

Ao contrário do que a maioria das pessoas pensam, cerveja não é tudo igual. Segundo a classificação do Beer Judge Certification Program - entidade que certifica juízes avaliadores de cervejas - existem aproximadamente 100 estilos diferentes de cervejas e dentro de cada estilo uma infinidade de marcas. A entidade já avaliou mais de 400.000 rótulos, isso mesmo, quase meio milhão de exemplares diferentes da bebida. Depois dessa não tem mais como dizer que cerveja é tudo igual!

Mas o que varia de um tipo de cerveja para outro? Muitas características podem fazer com que o sabor da bebida varie entre os estilos. Ingredientes, tipo de fermentação, temperatura de cozimento do mosto, temperatura de serviço, grau de carbonatação, teor alcoólico, lupulagem entre outros diversos fatores. Lager, Ale, Lambic, um bom chopp... qual estilo vai bem com o prato que vamos combinar? Abaixo vão algumas dicas para um bom equilíbrio cervejo-gastronômico:

Cerveja combina com queijo?
Sim, combina e muito! Há até especialistas que dizem que a cerveja complementa melhor um bom queijo do que o próprio vinho, mas isso é assunto para outro artigo.

Para equilibrar cerveja e queijo, podemos nos valer de algumas regrinhas recolhidas deste artigo do Brejas:

- Cervejas delicadas e leves com queijos frescos e suaves;
- Cervejas maltadas com queijos maturados e com notas amendoadas;
- Cervejas mais lupuladas, portanto mais amargas, com queijos mais salgados, acres, azedos;
- Cervejas fortes e com maior residual de açúcar com queijos azuis.

Estas são regras bem básicas e é importante que se entenda o motivo de tais combinações. Por ser um assunto extenso, trataremos futuramente sobre isso por aqui também.
Pratos leves

Para pratos leves como saladas e sushis, recomenda-se a combinação com uma cerveja de trigo, as weizenbier, que também funcionam com pratos mais apimentados. Dentro deste estilo recomendo duas importadas clássicas, as alemãs Erdinger Weissbier e Franziskaner Hefe-Weisse Hell. Entre as nacionais a Eisenbahn e a Baden Baden fazem excelentes exemplares com suas Weizenbier e Baden Baden Weiss respectivamente.

Carnes e churrasco

Para filés, costeletas, churrascos e todo tipo de comida de sabores defumados recomenda-se as cervejas escuras com alguma doçura, como o caso das Dunkel, Bock e Brown Ale. Minhas preferidas nestes estilos são a Franziskaner Hefe-Weisse Dunkel e a Brooklyn Brown Ale, ambas importadas. A Eisenbahn Dunkel, nacional, funciona muito bem em churrascos por ser bastante leve.
Para costelas e a nossa tradicional feijoada, nada melhor do que uma boa Stout (indicarei algumas mais abaixo em Sobremesas).

Carne de porco e comídas cítricas

Meu estilo favorito de cerveja curiosamente é o que combina melhor com meu prato preferido: carne de porco. Para esse tipo de prato e demais comidas de característica cítrica, recomenda-se as IPAs, ou India Pale Ales, geralmente fortes, um pouco mais amargas que o usual e de sabor extremamente complexo. Poderia citar várias neste estilo mas vou me ater a duas, uma importada, a Greene King IPA e uma nacional, a fantástica Colorado Indica.

E para a sobremesa, cerveja!

Isso mesmo, cerveja também pode ser tomada junto a uma boa sobremesa, principalmente se for a base de chocolate ou sorvete. Para estes casos uma Stout cai muito bem. Nesse estilo os ingleses dominam, com a clássica Guinness Draught e a Marston's Oyster Stout, ambas facilmente encontradas no Brasil. Das nacionais tenho que puxar novamente o saco da Colorado, que fez um trabalho incrível com a Demoiselle, cerveja que leva grãos de café gourmet em sua composição, o que resulta em forte aroma e gosto de café e chocolate.

Essa foi só uma pequena introdução ao vasto mundo da combinação entre cerveja e comida. Se você gostou e quer saber mais, deixo algumas excelentes referências utilizadas para a composição deste artigo:


Lembrando que a melhor forma de aprender é a experimentação! Faça suas combinações e comente aqui o resultado. Até a próxima!

Postar um comentário