segunda-feira, 18 de outubro de 2010

Vinhos e Massas

Quando pensamos em escolher os acompanhamentos para os pratos, é importante lembrar que a bebida que acompanhará as massas deve, tanto quanto qualquer outro elemento que compõe a receita e a refeição, ser adequada para oferecer as sensações que estamos tentando criar. Chamamos esse processo de harmonização. Um acompanhamento clássico para qualquer massa é o vinho: se for bem escolhido, um vinho poderá enriquecer muito a experiência de um prato! Aqui falaremos um pouco sobre como usar o vinho branco para renovar as refeições com massas.

Quando for servir massas com molhos brancos cremosos, a melhor escolha é um vinho branco. Molhos como o Alfredo (com queijo parmesão e manteiga, veja a receita) são muito ricos em sabor e consistência, e por isso o frescor de um vinho branco complementa massas com estes molhos perfeitamente. É importante escolher um vinho mais seco, que não seja muito frutado.

Ao prepararmos um prato, a última coisa que queremos que aconteça é que os sabores escolhidos estejam “competindo” entre si, sobrepondo-se e fazendo com que elementos se percam. Lembre-se: escolher um sabor que não vai ser notado por conta de outra escolha é desperdício! Assim, deve-se harmonizar vinhos brancos mais complexos, com mais riqueza de notas, com pratos mais simples, mais sintéticos. Vinhos brancos de notas complexas, com diversos sabores frutados, não vão fazer bom par com massas que tiverem muitos temperos ou molhos mais pesados: os sabores em excesso vão se misturar e se perder no paladar. Um vinho branco complexo e encorpado vai ser muito mais apreciado se servido com massas preparadas de forma simples, a exemplo de um aglio oglio (que chamamos de “alho e óleo”), ou um preparo com ervas.

O vinho branco também deve ser escolhido se o prato a servir tiver como principal elemento um queijo mais suave, mais pálido, como mussarela, pecorino ou gorgonzola. Queijos mais leves sempre possuem sabores que harmonizam muito bem com as notas frutadas de um vinho como o zinfandel, de produção comum na Califórnia.
Algumas possibilidades de harmonização vinho/massa já se tornaram clássicas. Um exemplo é servir junto ao vinho branco massas baseadas em carne de frango, peixe ou porco, isto é, em carnes brancas. Essa combinação dificilmente vai dar errado, e pode ser feita sem hesitação.

Por fim, quando a ocasião for propícia e você não tiver certeza de que vinho escolher porque há muitos ingredientes no seu prato com massa, vale a pena ousar e substituir o vinho branco por um rosé. Os vinhos rosé são classificados também como brancos por suas características, mas mantém uma coloração rósea e são capazes de adicionar um sabor bem distinto a qualquer prato que com eles for servido.

Postar um comentário