sexta-feira, 16 de julho de 2010

Sul Matogrossense de Coração

COZINHA REGIONAL SUL-MATO-GROSSENSE

Para falar da culinária regional sul-matogrossense, é preciso lembrar da formação histórica da região em dois períodos distintos. Um, quando por falta de ligação interna e terrestre com as outras cidades brasileiras, vivia isolada, sob a influência dos países de língua platina. Outro, depois que se estabeleceram comunicações ferroviária com São Paulo, quando a região passou a se relacionar com o restante do país.

Da influência com os países vizinhos, nasceu a maioria dos pratos mais famosos. O acentuado cosmopolitismo que se verificava na região (houve época em que a população de Corumbá se compunha de 50% de estrangeiros) trouxe como conseqüência a adoção de cozinha e hábitos caracteristicamente de origem oriental, argentina e paraguaia.

Antes de se estabelecer a ligação direta com as grandes capitais brasileiras, o famoso puchero - nome dado ao cozido - era uma especiaria indispensável dos hotéis das cidades das colônias platinas. Mesmo nas casas mais humildes, o puchero era adotado como prato da casa.

Do Paraguai veio o hábito do tereré, importado através de Ponta Porã e Bela Vista, zona de ricos ervais, servido com água em temperatura natural ou gelada, é muito usado nos campos. Tomado só ou em grupo disposto em círculo, proporciona momentos de descontração e integração.

A chipa, uma espécie de pão de queijo de forma redonda ou oval, também é de influência cultural paraguaia. Além dela, há a sopa paraguaia, uma deliciosa torta que pode ser comida a qualquer hora do dia. A sopa paraguaia é sólida e não líquida como poderia deduzir pelo nome, pode ser encontrada em casas de venda de salgado, confeitarias, bares e até mesmo em tabuleiros de vendedores ambulantes.

Depois da chegada da estrada de ferro Brasil-Bolívia e da ligação Corumbá- Santa Cruz de La Sierra, um outro elemento culinário passou a ganhar prestígio nas mesas e costumes do pantaneiro: a saltenha, que parece ter sido introduzida na década de 1930, época da construção da ferrovia. A saltenha é um salgado feito com recheio de galinha ou carne.

Outro prato boliviano que compõe a culinária regional é o arroz boliviano, uma espécie de risoto de forno, preparado com ervilhas, banana da terra frita, pedaços de galinha, ovos cozidos e milho verde.

A culinária cuiabana, a mais tradicional e a mais típica de todo o centro-oeste, também exerceu influência na mesa do pantaneiro. Está representada através da farofa-de-banana, farofa-de-carne (matula de fácil manejo e transporte), o pacu assado, frito ou ensopado, o caribéu, abóbora com carne seca, o licor de pequi- fruta nativa da região, o furundu - sobremesa feita com mamão e rapadura de cana, entre outros.

O peixe é um alimento bastante popular ao paladar do pantaneiro, mas a carne bovina em abundância é a preferida, muito usada nas mesas da região, geralmente acompanhada de mandioca cozida.

Imagens do meu estado: 
 
Bugrinhos da Conceição
 
Pantanal Sul Matogrossense


Bonito-MS
Campo Grande/MS - Capital

Fonte: MATOGROSSO, Tânia Mara. Culinária Regional. Em http://www.pantanalms.tur.br/  Consulta realizada em novembro de 2007.
Postar um comentário