terça-feira, 11 de maio de 2010

PATÊS

O patê tem origem muito antiga. É difícil determinar a região exata onde começou, mas sabe-se que desde a antiguidade, os egípcios apreciavam a carne saborosa de patos migratórios que caçavam no inverno, às margens do rio Nilo. Também os gregos e romanos utilizavam o fígado de ganso para confeccionar pratos.

Patês, um sabor secreto
Muitas culturas culinárias se intitulam como criadoras desta pasta, mas foi em França, quando a região do sudoeste começou a produzir o foie gras (fígado) de ganso, que o patê ganhou fama.

Tradicionalmente, a palavra patê é utilizada para referir um preparado elegante e bem temperada que utiliza carnes transformadas em pastas e cozidas em banho-maria. Entre os patês mais apreciados estão o de fígado de ganso ou de galinha e, ainda, receitas utilizando vitela.

Atualmente, a palavra patê é utilizada também para outras pastas aromatizadas com azeitonas, salmão, tomates secos ou quaisquer outros ingredientes. Os patês dão um toque elegante às entradas e pratos leves.

O Segredo
A suavidade e o aroma da pasta vêm do uso de ingredientes frescos e de qualidade, evitando a utilização de ingredientes congelados. Os patês a base de fígado devem ser fresquíssimos. Lave o fígado muito bem antes de manusear e retire as películas e veias. O segredo é sempre levar os patês para o frigorífico depois de preparados, pois isto estabiliza a textura tornando-o mais tenro.

Fonte: A Semana – acessado em 07 de maio de 2010
Postar um comentário